As 5 melhores festas de São Carlos na opinião de quem entende

Já vinha escrevendo esse texto há um tempo, mas acho que não há melhor hora para publicá-lo do que agora. O que aconteceu ontem e hoje foi simplesmente sensacional. demais para deixar passar.

A quem não entendeu, explico: ontem aconteceria uma festa bem grande na cidade, a Salve Santa Clara, na qual compareceriam algo em torno de GENTE PRA CARALHO. Por infortúnio da vida (mais precisamente a promotoria pública de Descalvado) a festa foi adiada para hoje e posteriormente cancelada e tínhamos uma cidade com GENTE PRA CARALHO pessoas órfãs de rolê necessitando urgentemente de uma cerveja gelada e uma barrigudinha de corote sabores.

Continuar lendo

27 coisas que você provavelmente não sabia sobre a gente

Somos escrachados o suficiente pra seguir uma corrente de orkut no facebook, mas hipsters o suficiente pra postá-la em uma mídia alternativa, então seguem 27 fatos que vocês provavelmente não sabiam sobre a gente:

AgaGê/Olodum:

  1. Eu adoro escrever. Além desta merda, de vez em quando posto alguma coisa no medium também.
  2. Só não escrevo mais porque sempre canso antes de finalizar os textos e prefiro evitar a fadiga.
  3. Provavelmente alguma conversa que eu tive ou tiver com você virará um texto aqui, sempre treino o encadeamento das idéias conversando com as amizades.
  4. Tenho planos de compilar os textos do blog em um livro, mas como só trabalho nisso nas férias, isso só vai sair do papel daqui há uns anos (tem algo como 30 páginas escritas até agora)
  5. Costumo escutar axé sábado enquanto faço o almoço pra lembrar de casa. É feliz e triste ao mesmo tempo.
  6. Sou extremamente antissocial em casa. Passo tanto tempo socializando na rua que gosto de chegar em casa, ligar o computador e passar horas vendo memes sem dar satisfação a ninguém.
  7. Algumas vezes essa bad antissocial me bate no meio de uma festa e eu fico vagando por longos minutos até passar.
  8. Me ressinto muito do meu tempo no NUJ. Acho que fiz uma gestão horrível e a fixação extrema que os empresários juniores tem com reforço positivo me impede de aceitar qualquer tipo de elogio vindo deles.
  9. Aliás, a coisa que eu mais me sinto aliviado de ter saído do MEJ é isso: me livrar da falsidade travestida de reforço positivo.
  10. Muito embora eu tenha conhecido pessoas ímpares lá dentro, não me arrependo de ter entrado por nenhum momento.
  11. Tenho a autoestima baixíssima, mas desenvolvi uma rotina diária que me mantém são e longe da depressão.
  12. Gosto muito de sexo, mas vou além da parte putarística, consumo bastante material sobre tudo o que o envolve, desde o aspecto biológico até o econômico.
  13. Porém, minha vida sexual é mais puritana do que a da maioria de vocês, mas o simples fato d’eu ser aberto a falar sobre o assunto, faz vocês pensarem que tem o direito de falar algo sobre minha pessoa. Vocês são nojentos nesse aspecto (isso inclui vários amigos próximos).
  14. Tenho vertigem.
  15. Gosto de música ruim, perco horas e horas procurando novas ou ouvindo as antigas. Me acalma e me lembra minha infância.
  16. Sinto muita falta da rotina do ensino médio, dormir na mesma hora. acordar na mesma hora, baba de sábado, etc.
  17. Decorei um número desnecessariamente alto de letras do Eminem.
  18. Passo muito tempo sem fazer nada, mas sou extremamente otimizado no que diz respeito a fazer as coisas que tenho que fazer
  19. Odeio viajar, se vocês passassem 30h seguidas no ônibus vocês me compreenderiam.
  20. Não conseguiria voltar a morar com minha mãe, mas passar o semestre inteiro longe mina minha resistência emocional pra lidar com a graduação.
  21. Não gosto das fotos onde eu estou “bonito” por que nunca sei até onde o elogio das pessoas é sincero e até onde estão tirando onda com a minha cara, assumo que estão tirando onda com a minha cara e a baixa autoestima volta com força.
  22. Na verdade, esse medo de que as pessoas vão me zuar em algo que eu fiz de coração pra ser uma coisa boa me impede de fazer várias coisas.
  23. Sou péssimo em receber ajuda e elogios, mas sou ótimo em ajudar e elogiar pessoas.
  24. Meu maior medo é decepcionar minha mãe.
  25. Eu sou bom em tênis de mesa, competi no ensino fundamental e médio, mas o nível aqui em SP é tão alto – dado o número de nipônicos – que eu simplesmente desisti de praticar
  26. Meu pé já não é tão grosso quanto antigamente devido à falta de bater o baba descalço
  27. Muito do que eu  falo de engraçado não é de autoria minha, eis o grande segredo da minha criatividade.

Higor:

  1. Primeiramente, batatas.
  2. Evito tretas.
  3. Não gosto mais de jogos quanto antigamente. Pra mim, parece um pouco perda de tempo (tempo que eu poderia gastar vendo uma série nova ou tirando uma música nova).
  4. Tenho planos de ter uma banda, com músicas próprias e a coisa toda. Espero ter tempo pra me dedicar a isso assim que formar, mas tenho ciência de que esse discurso de “quando eu estiver x faço y” é bem falho.
  5. Quero levar meus pais pra uma viagem internacional um dia.
  6. Sofro quase todo dia da Síndrome do Impostor.
  7. Me considero ambivertido: socializo, converso e sou extrovertido quando preciso e o faço com prazer. Aprendi com um amigo que se deve saber um pouco de cada coisa pra essas situações. Quando vejo que não é necessário, fico no meu canto de boa.
  8. Não sou um ávido leitor. Pelo menos não de livros. Leio muitos artigos na internet, mas pra mim é muito difícil pegar um livro e passar horas lendo. Acho até interessante, mas fico com sono rápido. Sei que isso é o caminho para a burrice, por isso forço a leitura sempre que posso.
  9. Tenho dificuldades pra reportar a superiores, mesmo não tendo feito nada de errado.
  10. Também ouço música ruim fazendo a faxina as vezes. Faz lembrar do meu distante país baiano.
  11. Tenho vontade de estudar/fazer algo relacionado a cinema um dia. Filmar, editar, colocar efeitos em coisas são algo que curto muito.
  12. Apesar de não ter lido comics, curto muito X-men. É um quadrinho com paralelos a questões sociais muito fortes, acho isso bem massa.
  13. Gosto de chamar atenção. Uma das razões pelas quais desenho, toco, escrevo, etc.
  14. Tenho medo de assaltos. Nunca ando de boa na rua. Já fui assaltado 3 vezes e acho que isso me deixou meio que com trauma.
  15. As únicas vezes que andei de boa na rua foram no Canadá.
  16. Nunca vi O Rei Leão (essa é grave, eu sei).
  17. Assim como muita gente metida no meio artístico, tento transformar as merdas que me acontecem em arte. Me ajuda a tirar as coisas da cabeça, me desenvolve tecnicamente e satisfaz minha necessidade de atenção. Espero um dia poder transformar as coisas boas em arte também.
  18. Odeio azeitona com todas as forças.
  19. Falo inglês na minha cabeça maior parte do tempo. Mentalizo altos diálogos, discussões, explicações, cenas de filmes existentes só que com eu como protagonista.
  20. Misturo passas com cereal.
  21. 70% das minhas camisetas são preta ou azul marinho. Pretendo um dia ter um guarda roupa todo igual.
  22. To quase sempre atrasado.
  23. Sempre achei Macs superfaturados, mas depois de usar um entendo que vale o preço é quero comprar um.
  24. Olho se meu cabelo tá bagunçado através das minhas sombras na rua.
  25. Gosto de fazer apresentações, de falar em público
  26. Tenho um jogo mental em que sempre que vejo um fusca na rua, preciso achar outro pra zerar a contagem. Não pode haver um número ímpar de aparições de fusca num mesmo dia, ou perco o jogo.
  27. Decoro coisas inúteis – serial do Windows, quantidades de degraus de escadas, etc

5 motivos pelos quais música ruim é melhor que música boa

Todos nós tivemos aquela fase, todos nós um dia já nos sentimos mais inteligentes apenas por nosso gosto musical. Inclusive, vocês podem conferir a minha aqui mesmo, nesta pocilga digital.

Acontece que a gente cresce, e com o crescimento vem as espinhas, depois as espinhas passam e vem os pelos corporais (que em mim se restringem à parte posterior da coxa). Depois dos pelos corporais vem o primeiro porre, a primeira vez e, possivelmente, chega a maturidade. Continuar lendo