A FILOSOFIA DE VIDA DE ZECA CAMARGO

Nem só de pão vive o homem

Também tem o sonho

O pão de queijo

E a rosquinha de nata

(Joaquim Padeiro)

 

Dia triste, sem dinheiro, sem ânimo… então fui obrigado a dormir no caminho das índias, pois minha vida estava uma zorra total. No outro dia, acordei na faustolândia, minha vida estava perdendo completamente o sentido, não havia mais motivo para viver, não havia mais sabor nesta existência. Resolvi jogar tudo para o alto, tentar uma nova sensação de viver, uma nova possibilidade de conseguir um caminho e direção para os meus passos, porque, inadvertidamente, não havia nenhuma sessão da tarde para me ajudar… Era domingo!  Desfaleci, obriguei-me a tentar reviver a alegria, sentir a temperatura máxima, desejar viver com felicidade e prazer… Ser alguém importante e inteligente como o Galvão Bueno: eis que me acontece algo fantástico! A FILOSOFIA DE VIDA DE ZECA CAMARGO…

Praticamente não consigo descrever a sensação de alívio que senti ao escutar as sábias palavras deste filósofo global. Voltei a ser alguém como esperança. Zeca Camargo, com seu topete transcendental, sua jaqueta style, seu jeito maroto, porém irreverente e subversivo, dispôs os fundamentos para que a minha vida tivesse sentido.  Suas sábias palavras e sua consciência de mundo conseguiram resumir o sentido da vida humana em 3 princípios norteadores:

1º Fingir ser o que se não é totalmente sendo o ser que se é no domingo a noite passeando com poodles com um topete maneiro

2º Usar roupas da moda olhando para todo mundo como se você fosse o máximo sabendo que você não é porra nenhuma

3º Sentir que você entende de muitas coisas estando cansado de saber que não sabe porra nenhuma mas acredita mesmo que sabe

O método camarguiano é o que fornece fundamento para esta perspectiva transcendetal e axiológica de existir de modo global. De certo modo, o conceito chave da reflexão dispõe a tese de que a vida humana é uma espécie de malhação: a vida é se passa em um cenário que é e não é ao mesmo tempo uma academia… no princípio era uma academia, depois virou escola, agora ninguém mais sabe o que é aquilo. Por isso, os personagens são todos estúpidos, assim como os atores e autores são acéfalos. Deste modo, o camarguianismo estabelece como princípio da vida o conceito de acefalia: para viver bem é preciso ser burro e fútil, se interessar mais pelo visual style de suas roupas fumegantes do que se preocupar com alguma coisa que realmente interessa, do mesmo modo que o maior objetivo de sua vida deve ser aparecer no video show, ou ser um péssimo ator de novela.  O cume da realização humana é assistir um show da Madona no camarote ou conseguir um beijinho bem geladinho da rainha dos baixinhos. Esta é a conjuntura espacial da vida na telinha da globo… Quem, neste mundo globalizante e globalizado, é capaz de confessar que nunca sonhou em ser um dia a estrela da novela? “É ela, é ela, a estela da novela: Dolores, Dolores Descartável”…

 

ZECA CAMARGO É O CARA!

 

PS: NÃO PERCA AS CENAS DO PRÓXIMO CAPÍTULO…

 

Globo a gente se vê por aqui! Plin Plin

3 comentários sobre “A FILOSOFIA DE VIDA DE ZECA CAMARGO

Digaê

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s