Hello, look at me! I speak english!

Essas coisas só acontecem aqui mesmo viu.

É impressionante a capacidade de se mostrar de algumas pessoas. É incrível como algumas delas têm a habilidade de dizer que estão ali, que existem, e mesmo que por despeito, inveja, ou pura curiosidade alheia, prendem a atenção.

Estava eu voltando de Coroa Vermelha – distrito de uma cidade das redondezas – pra Porto, em um dos tradicionais transportes coletivos que tanto incentivam-nos a fazer passeios pela cidade. Tava eu, mamãe, papai e André, um amigo meu lá de Coroa City. Este, sentou-se na janela e eu no corredor.

Eis que surgem de lá duas mulheres com cara de turista, algo muito normal por aqui, uma vez que a cidade possui seus visitantes mesmo em épocas de baixa temporada.

Sabe quando a globo transmite um dos seus plantões amigáveis e discretos reportando um acidente de avião, um furacão, ou qualquer coisa do tipo? Poisé. Assim foram as muié lá: chamaram e prenderam a atenção dos otários das pessoas no ônibus.

– “Mas Higor, o que elas fizeram pra chamar a atenção de todo mundo? Eram bonitas?”

Não.

– “Se vestiam esdruxulamente? Faziam acrobacias? Gritavam ‘Ronaldo’ “?

Não. Simplesmente falavam inglês. É rapá, só falavam inglês.

Não há o mínimo problema em falar inglês em público. O problema é quando a pessoa fala inglês em público EM TODA ALTURA. Como se dissessem “ô cambada, olhem pra mim, eu seu falar inglês, hâ hâ…“.

A fêmea disparou a falar inglês que nem narrador de rodeio. Pela velocidade que falava, até pensei que fosse americana legítima. Mas com o desenrolar do papo, percebi que ela falava as palavras em português e até frases perfeitamente. Coisa feia eu observando o papo dos outros, né?

Conversa vai, conversa vem, whiskas sachê, e eu e o André antenados no papo, tentando usar nossos poucos conhecimentos em inglês pra ver se era possível captar a conversa e até mesmo testar nossa capacidade de compreensão da língua inglesa. De repente, ouvimos a mulher falar algo do tipo:

– “Men don’t know how to use these tits. They only ask ‘where’s the hole, where’s the hole, the hole, the hole…

– ” Hahahahaha” – ria a outra.

Temço.

André e eu olhamo-nos mutuamente fazendo aquela cara de “O.o”. Continuamos ouvindo a conversa.

A mulher continuou falando, falando, falando, até soltar algo que me deu vontade de, como o AgaGê diz, abrir a barriga dela e beliscar o pâncreas com uma agulha de crochê:

– “I’m tired of these stupid ugly boring brazilian men’s faces.”

AFF! QUALÉ!

Olhei pra André denovo e vi que ele tinha entendido.

“Óquíprocêis!”

O que dá raiva é que tem gente que só pelo fato de possuir uma habilidade de destaque em relação às outras pessoas, se acha no direito de considerar seu ego sofredor “superior”. Coitados.

E não parávamos de ouvir a conversa. Por mais besteira que elas falassem, era impossível não prestar atenção devido o volume em que chatteavam (pegou?).

E daqui a pouco lá vem ela com uma conversa de um tal de um homem que ligou pra ela de manhã pedindo ela em casamento, whiskas sachê [2]. Se era verdade mesmo, me pergunto: “quem seria o doido?”

Em seguida, tentei prestar mais atenção no que ela falava, mas não peguei nada de importante. E o mais interessante era que as pessoas ao redor faziam comentários em voz alta, achando que elas eram gringas mesmo e não entenderiam. Se eu fosse uma daquelas mulheres, morreria de dar risada depois.

by Higor Ernandes

11 comentários sobre “Hello, look at me! I speak english!

  1. Hey you motherfucker, XD. Ainda bem q eu falo japones, ninguem entende, é mais dificil, mais cabuloso e chama mais atenção.
    Tudo bem q é mais ridiculo e que eu so feio pacas, mas… foda-se, XD

    Curtir

  2. Fuck the americanization :D

    Não sei o que é pior, o fato da dupla de meretrizes ser o centro das atenções ou o fato delas se acharem o centro das atenções ..

    *-*

    Curtir

  3. Pingback: Assinando sua sentença de morte em público « Nerd Calculista

  4. Quando eu quero atenção, eu falo espanhol. Todo brasileiro acha que fala espanhol, aí se acha na obrigação de entender a conversa. Só um tip: a mulherada morre por um cara falando espanhol, já ouviu falar de um sujeito chamado Carlos Daniel Bracho? ;]

    Curtir

Digaê

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s