Top alguma coisa – ameaças maternas

Olá criatura semi-consciente.

Todo mundo tem mãe. Por mais largada, feia, suja, maltrapilha, esquisita, esquecida e torta que ela seja, todo mundo tem uma, mesmo que não conheça. E mãe é tudo igual, só muda o endereço.

Desde os primórdios, as mães sempre tiveram um poder sobrenatural sobre os filhos, sabendo exatamente em qual ponto deveriam atacar de forma a fazer com que seus filhos voltem chorando à barra de sua saia como…. como criaças choronas que todos fomos um dia. Comigo não foi diferente. Quando pequeno, esporadicamente eu aprontava algo (geralmente de uma em uma hora, com pausas para dormir), então eu era todo dia bombardeado com ameaças de morte, perda de membros importantes, coisas do tipo.

Graças a Nimb, as ameaças de morte de minha mãe nunca se cumpriram (ó, jura? Se tivessem se cumprido cê ia tar escrevendo isso agora como?), tampouco as de pancadas, essas caso tivessem se cumprido, resultaria em morte certa, tamanho era o sadismo que continha nelas. E agora listerei-as para vocês, correndo o risco do post virar um livro do marquês de sade.

  1. Tapa no pé do ouvido: O famigerado tapa no pé do ouvido era temido. Se uma mãe dissesse que ia te dar um tapa no pé do ouvido, era melhor obedecer o que ela estava te dizendo. Tapa no pé do ouvido consistia em dar um tapa na metade debaixo de sua orelha, comprimindo o ar dentro do ouvido, fazendo o tímpano vibrar intensamente, produzindo o efeito no seu cérebro de um conhecido “zunido”. É horrível ficar com aquele negócio no ouvido, e minha mãe sabia disso, então nao cansava de apelar para tal quando eu aprontava algo. Infelizmente, essa ameaça faz parte da parte das ameaças que foram cumpridas…
  2. Chinelada: Essa, creio eu, é a mais famosa dentre todas, quem nunca apanhou de chinelo? Pois é, e para nossa infelicidade, havaianas é uma febre nacional, e para maior infelicidade, homens tem pés absurdamente grandes do ponto de vista das crianças (pobre do meu filho quando ele aprontar, eu calço 44…). Então quando nossas mães diziam “vou ali pegar o chinelo”, sabíamos que era hora de parar tudo o que estávamos fazendo. Se a merda já tivesse feita, correr, se ainda não, ficar quieto como se nada tivesse acontecido. E torcer pra sua mãe mudar de idéia quanto ao seu castigo. Caso ela não mudasse de idéia, que Nimb tenha piedade de sua pobre alma…
  3. Cortes:Cortes eram temidos. Mas não eram cortes físicos não, afinal eu não tinha uma mãe sadista, mas sim cortes de regalias. Esse tipo de ameaça começou a vigorar lá em casa quando eu não me importava mais de tomar um tapa ou outro caso eu ficasse tempo a mais na rua, ou caso eu quebrasse alguma coisa, mas eu temia perder as coisas. Computador no meu caso é o mais comum, mas ela varia de caso em caso, podendo ir desde não poder jogar bola até não poder sair no fim de semana. Mas qualquer que fosse o corte, era temido, as vezes até nos fazendo preferir os cortes físicos mesmo.
  4. Dar “uns tapas”: Dar “uns tapas” era realmente ruim. Isso significava que sua mãe ia te bater até ela achar que você estivesse punido. Isso significava que ela ia te bater até você chorar indiscriminadamente, quase pondo a sua reserva de urina em lágrimas. E ela não ia aprar enquanto isso não acontecesse. Lógico que crianças espertas e com boa aptidão para atuação (vulgarmente falando: mentirosas) logo aprendiam que ao segundo tapa você deveria começar a chorar forçadamente dizendo “tá bom mãe, eu nunca mais vou fazer isso!”, assim ela parava. Mas mesmo com esse truque os dois primeiros tapas doíam…
  5. Contar para o seu pai/mãe: Meninos espertos aprontavam num lugar onde apenas o mais “manso” de seus parentes próximos pudesse ver e aplicar um castigo, que por consequência seria mais brando. Mas, motivados as vezes por stress, ou porquê o que você aprontou foi realmente sacana, esse parente mais “manso” por vezes fazia com que o castigo fosse aplicado pelo parente mais “bravo”, quase sempre por meio de delação. Pobre alma a que sofria desse tipo de ameaça…
  6. Vem cá muleque, que eu vou te ensinar uma lição!: Essa é realmente ruim, se sua mãe/ ameaçar com algo assim, é porque a boma realmente estorou pro teu lado e tu tá fudido. Mas não fudido do tipo “vai ficar sem computador…”, fudido tipo “caiu da escada, quebrou a bacia e levou uma surra de cinto na bunda. Com a fivela”. O lance é rezar pra Nimb, Deus, Buda, Chuck Norris, Alah, Tv Escola, ou qualquer outras dessas entidades cósmicas poderosas para que proteja sua alma e a carregue em segurança para seus domínios (porquê morrer dolorosamente é claro que você vai). E confiar para que ela te ouça…

É, acho que é isso. Tudo o que eu consegui me lembrar tá aí, resumido e sadificado. Caso você se lembre de alguma ameaça que sua mãe fazia quando você era pequeno, manifeste-se nos comentários.

E que Nimb role bons dados para você!

(principalmente se teu caso for o 6…)

5 comentários sobre “Top alguma coisa – ameaças maternas

  1. Minha mãe nunca acreditou em castigo, na maioria das vezes uma bela surra servia muito bem, lembro até hoje quando ainda estava na primeira serie que tive de aprender a falsificar a assinatura dela pra não apanhar, já que todo santo dia tomava um bilhete por algum motivo na escola.

    Curtir

  2. pulfavor me ajudem tem uma menina que começou a me chingar no orkut ai ela disse que ta com medinho calo a boca agora eu comescei a chingar ela tambem dai ela falo que ia contar para meus pais meus segredus dai eu parei de chingar ela mais nao adiantou ela continua me ameasandu
    jente pulfavor me ajudem

    Curtir

Digaê

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s