O que eu realmente faço na aula – cadernos

Comumente as pessoas vão para a escola para badernar, fazer amigos, ficar no corredor, fazer sexo e coisas do tipo. Tudo, menos estudar.

Eu não sou diferente. Bom, talvez seja, porque não vou parar o colégio fazer sexo, mas faço todo o resto com louvor. Inclusive enrolar as aulas, como que lê o blog a mais tempo deve saber (não vou postar o link porque existe uma ferramente ali do lado chamada “procurar” e ela deve ser usada, seu preguiçoso).

Como por vezes não conseguimos sair da sala e enrolar a  aula contando os besouros que estão no jardim, nem tampouco ir na cantina contar quantas cores tem uma lata de coca-cola, então temos que encontrar maneiras de enrolar a aula estando dentro da sala. Para isso, podemos usar uma simples ferramenta que todos tem (ou deveria ter, essa juventude…) consigo sempre: O caderno.

Alguns utilizam a última folha do caderno, alguns trazem um caderno só pra isso, mas eu apenas utilizo as capas para tal. To falando de desenhar, né, rebanho de desajustado?

Não sou um meste na arte do desenho, não como higór-destreza-de-arqueiiro, mas faço alguma coisa quando a aula tá chata. Ahhh, as aulas chatas…

Vamos então às perolas desenhísticas:

Pois é, essa foi feita no primeiro ano, ano no qual eu tinha muita coisa pra fazer, e pouca vontade de fazê-las. Aí eu desenhava. Enfoque especial para o coelhinho da legião do mal, o coelho mais malvado e sanguinário da face da terra. E também não achem que eu estou fazendo apologia  às drogas ou coisa e tal, Smokestone aí quer dizer pedra-fumaça, não fumar pedra.

Essa é a capa de trás do caderno, igualmente obra-prima da arte moderna. Detalhe especial apra o “HG domina o mundo” escrito em japonês, o “motherfucker” escrito embaixo e o elfo beiçudo no meio.

Capa do caderno do ano passado. Novamente o bad rabbit da legião do mal está ali presente, mas desta vez vocês podem ser agraciados com um desenho de minha pessoa em um momento fofinho. Também podem perceber uma mancha de lápis riscado, que na verdade é “PORRA” escrito com estilete e riscado para aparecer mais fácil.

Capa de trás do caderno do ano passado. Esse tem vários detalhes especiais que merecem nota. A começar pela equação milenar e de extrema sabedoria aí exposta, aonde chegamos na prova científica do que todos já sabiam. Tem também a representação da comparação do tamanho dos membros meu e de tv escola (lógico que ele que desenhou e expoôs sua opinião, a minha seria com os nomes dos bonecos invertidos). Tem também a frase de igual sabedoria milenar proferida por Entei “Calma, está tudo bem agora”. E a ôla com os bonequinhos de cabeça.

Bônus:

Fruto de 4 longas aulas de português interessantíssimas. Eu pensei “poooxa, mas que aula engraçada…” e comecei a escrever hahahah no caderno. O resultado tá aí. Com direito a prenúncio de minha dominação global de minha parte.

Pois é, vendo iso, eu até entendo porque eu não sou um aluno excepcionalmente aplicado, nem me dou muito bem nos boletins da vida. Acho que se meu caderno fosse mais cheio dentro das páginas do que na capa, eu passaria de ano sem sufoco.

Mas, fazer o quê né? A vida é assim mesmo, vivendo e aprendendo, errando e se fudendo. Olha como tá meu caderno desse ano já…

Poisé, acho que eu só serei um bom aluno no dia que esses malditos coelhos assassinos morrerem de uma vez.

E até eu virar um bom aluno,

Que Nimb role bons dados para mim!

(Vocês que se lasquem ‘-‘)

3 comentários sobre “O que eu realmente faço na aula – cadernos

Digaê

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s