Poesia do Trabalhador

Trabalhou o dia toda
vinte e três horas de imposto
a renda foi para o leão, literal
a mente já não aguenta o estresse
balconista de lanchonete

Não vê a casa ficar pronta
sonho que tem e não consegue
2 quartos, sala, cozinha, banheiro
nem pede cobertura

Mas o 13° não cobre nem o cimento
sonho cinzento que parece distante
vai ao banco, pede emprestimo
25 mil direto na folha de pagamento

Enforcando o futuro
corda no pescoço
já estava dificil com o pouco
a metade de pouco é quase nada

Mas do quase vai lutando
o quarto pela metade construido
a cozinha ampliada
feijão com arroz a toda hora

Vai na luta trabalhador,
segue seu destino
gastando, construindo
pagando, pagando
o pão que o governo amassou
é pouco, mas come
e segue todo dia depois
do copo de café forte
só para dar ritmo para pagar dívidas….

Esse blog tem besteira, mas é cultura. ‘—‘
Feito por Jefferson Souza, do Poeta Diferente.

Em breve, assim que eu submergir das obrigações escolares, sai um post feito por mim.

2 comentários sobre “Poesia do Trabalhador

Digaê

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s