A tendência à preguiça das férias

Estive pensando esses dias sobre tudo o que tenho feito nessas férias. Como esperado, acabei minha reflexão cerca de dez segundos após seu início, notando que de útil, não fiz nada. Mesmo de inútil, fiz pouca coisa.

E não tem sido diferente de algumas pessoas com quem converso. As férias têm essa característica de nos levar a fazer nada. Foram feitas pra isso, afinal.

Só que antes que elas comecem, as coisas são meio diferentes. A princípio, por estar atolado com as obrigações de fim de ano, tanto escolares quanto de quaisquer outros meios sociais e não-sociais, situação esta demonstrada aqui, deseja-se as férias com o único intuito de dormir. Dormir bastante.

Mas, claro, você não planeja dormir por dois meses, perdendo de aproveitar o momento em que não se tem nada pra fazer pra ter um tempo pra si. Você planeja acordar tarde nos dois primeiros dias pra repor as energias gastas e descarregar na cama o stress correspondente ao de uma descarga elétrica num posto de gasolina. Depois de gastar tantos neurônios pensando por todo um ano, melhor deixar pra se pensar em planejamento de férias depois, não?

E então chega a Segunda-feira de férias:

Você acorda às 8 da manhã. Não muito tarde pra se perder a manhã, não muito cedo pra se perder horas de sono. Abre a janela que pega o sol matinal, estica os braços, dando um alegre bocejo alegre, saudando o amigável sol de verão iminente, que surge com um lindo céu azul. Desce as escadas, toma um banho gelado pra realmente ligar o corpo e vai para o café. Na mesa, pães frescos, queijo, presunto, leite, cereais, frutas. Tendo saciado as necessidades alimentícias, você escova os dentes e vai à praia. Corre por 30 minutos, tendo intervalos a cada 5 para um refrescante banho de mar. Toma um pouco de sol e volta pra casa.

No almoço, de volta em casa, você sente de longe o aroma do almoço preparado por sua mãe. Almoça. À tarde, você dedica um tempo a consertar sua velha bicicleta pra dar uma volta pelo bairro. Mais tarde, uma visita à casa de um amigo que você não via a tempos, afinal, as ocupações escolares não deixavam.

À noite, após a janta, você assiste um filme locado no centro. Acabando este, você vai pro PC atualizar redes sociais, assistir um anime ou série, onde permanece até a 3:00, quando você finalmente vai dormir. Nenhum problema em dormir até um pouco mais tarde, afinal, você está de férias, e qualquer coisa é só descontar no dia seguinte o sono perdido conversando no msn com aquela garota com quem você tem algum interesse ou trollando com um amigo acerca de qualquer coisa inútil, mas que te rendeu boas risadas e que te prendeu por tempo suficiente na tela do computador.

Eis que então chega a Terça-feira de férias:

Você acorda as 12:45 com o calor que faz no seu quarto, mesmo que tenha um ventilador ligado em máxima potência. O horário diferente do que você costuma acordar causa reações adversas no corpo. Você acorda com o que parece ser algum resto de composto salivar na região bucal e, principalmente, fora dela, mais precisamente no seu rosto e no travesseiro.

Seu rosto está inchado, mais do que o normal. Você deixa a janela do jeito que está, afinal, tanto quanto um vampiro, não quer saber de encarar o sol do meio-dia. Não conseguiria, pois nos olhos há uma barreira de remela que praticamente te impede de abrí-los. Você então, às 13:15 desce as escadas.

Cambaleando, perdendo o equilíbrio, afinal você não esticou o corpo ao acordar, pois se o fizesse, teria preguiça suficiente pra continuar dormindo até o anoitecer. Você desce então direto para a cozinha, pega um pão dormido do dia anterior.Da geladeira, aquela deliciosa margarina petrificada, com a consistência de um iceberg. Unta o pão com a mesma e para beber, o café velho da manhã, que já perdeu a temperatura por tanto tempo de inércia.

Termina o café e então segue para o sofá. Na TV, um programa que lhe permite saber características do comportamento de personagens de novelas, algo que, sem a mínima dúvida, é útil em sua vida. Ou isso, ou um cara forte tentando te vender algum produto que lhe dá pequenos choques e diz te emagrecer com isso.

E então lá você permanece até as cinco da tarde, quando as necessidades corpóreas de manutenção de energia começam a surgir novamente, o que te leva a finalmente, almoçar. Não muito diferente da margarina do café da manhã em consistência e tempo de vida, mas sim em espécie e quantidade, você se dirige à geladeira novamente, onde apanha o feijão do almoço, o arroz do almoço e o peito de frango frito que sua mãe havia feito às onze da manhã, achando que você almoçaria no horário normal.

Joga tudo num prato, mistura, e o microondas termina o serviço de deixar seu delicioso almoço aquecido e com aquela cara de Idade Média. Você empurra tudo pra dentro como um processo de tortura.

Ao término, você vai direto pro computador, onde atualiza seus sites de relacionamento, baixa Supernatural ou afins pra assistir, vê o novo mangá de Naruto, conversa com amigos e percebe o quanto eles estão se divertindo, enquanto você tem um dia soviético – que diferencia-se apenas pela temperatura – visita seus blogs favoritos, vê posts que retratam exatamente o conteúdo de suas férias, sendo este o ápice do seu dia. Uma pausa para o jantar – que trata-se basicamente duma réplica do café da manhã, porém com um pão ainda mais velho, uma margarina ainda mais dura e um café ainda mais frio.

De volta ao computador, você permanece até as 4:00 do dia seguinte.

Chega então a Quarta-feira de férias. E, por coincidência ou preguiça, ela é igual à Terça-feira de férias. E ela se repete na Quinta-feira de férias, e na Sexta-feira de férias, e no Sábado de férias, e por assim vai, definhando na rotina preguiçosamente esmagadora, padecendo em frente a uma tela ou jogado numa cama, alternando entre estes, até quando um dia, após vários dias como estes, você acorda às seis da manhã, abre a janela do seu quarto e diz pra si mesmo:

“Caramba, hoje tem aula ‘-‘  “

Um comentário sobre “A tendência à preguiça das férias

  1. fazia tempo q eu num vinha aki… quer dizer acho q nunca comentei aki
    hehe’
    mas ficou massinha o post… me identifiquei mtoooO
    hj eu acordei e falei: caramba! falta menos de uma semana pra escravidão. ¬¬

    Curtir

Digaê

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s