Comedia e zorra total

Esses dias fui ver um stand up que teve aqui. Antes de mais nada gostaria de parabenizar o governo da bahia (não sei porque, já que duvido que alguém que trabalhe lá leia esse texto) pela iniciativa da temporada verão cênico, que traz espetáculos às cidades por 1 real. Levando em conta meu atual orçamento, dá pra eu assistir, desde que eu vá a pé. É bom ver que o governo baiano não tem dinheiro suficiente pra pagar a PM, mas tem dinheiro pra trazer teatro pra gente.

Eu gosto de stand up ha algum tempo. Não que eu já tenha visto muitos espetáculos ao vivo, mas ao menos na internet eu tinha o costume  de assistir a números pela internet e sempre que passavam na televisão. Só que isso tem mais de seis anos, evidentemente que nosso gosto tende a melhorar com o avançar da idade.

isso não se extende a funkeiros

Desde então, tive contato com stand ups bons, épicos, ruins, muito ruins e com os nacionais. Pra quem acha que isso é coisa de classe média sofre, por favor, empale-se, stand up nacional é ruim e ponto, cabou.

Pra começar, o pessoal tem de entender que pra fazer stand up não basta só ser aquele tio engaçadão, tem que ser alguém profissional no ramo. É uma área de trabalho como qualquer outra, necessita estudo, prática, algumas críticas, em suma, é pra profissionais. Toda vez que alguém liga a TV no domingo e tá passando o programa da Ana Hickman e seu infame “Desafio Stand up”, algum bom humorista se converte em fã de Justin Bieber.

Depois, Stand up não é maratona de risada.  sério, quando o humorista começa a tentar fazer a platéia rir a cada cinco segundos, o stand up fica bom, até que se passam 30 segundos. Isso porque ninguém faz um show de uma hora contando uma piada melhor do que a anterior, uma hora ele vai apelar pra piada do tipo “Ba dum tss” e ai o show já perde todo o feeling. Na verdade, um show de stand up não precisa nem ter risadas pra ser bom, a única regra é que você tem que sair do show e pensar “Porra, esse cara é foda“. Quer ver como?

Mas o pior não é nem isso no stand-up nacional, o pior é quando você pega o jeito das coisas e aí todo o show perde a graça. Se banissem os dizeres “Vocês ja repararam que” e “falando em x, outro dia eu vi y“, 95% dos humoristas brasileiros parariam seus shows e começariam a trabalhar no McDonalds. Sério, se quer mudar de assunto, use uma frase mais cuidadosa, mais original, e enfie esse clichê no cu.

Então, depois de tudo isso, nos resta apenas aprender inglês, ou rezar pra que o nível do humor nacional saia de “Zorra Total” pra “George Carlin“.

E que Nimb role bons dados para vocês!

Digaê

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s