7 dias sem facebook

De uns tempos pra cá, venho percebendo o quando viciado eu estou nesse tal de facebook, ainda que muitos tendam a defender que “não se vicia em um meio de comunicação, mas sim no que ele tem a oferecer”. Baseado nisso então, eu não sei em quê exatamente eu estou viciado, já que o facelivro não tem muito a oferecer.

Não é de hoje que eu percebo que entro no facebook as vezes apenas pra olhar pra a tela e ficar fuçando a vida dos outros. Aliás, esse é um bom motivo pra a existência desse site: pra que pessoas olhem as vidas alheias. Aos poucos, a figura de velhinhos sentados à porta numa cidade pequena olhando quem passa na rua e comentando sobre suas vidas, vai se substituindo pela imagem de uma pessoa sentada num computador olhando perfis de outros e comentando, literalmente ou não, sobre/nas vidas dos outros. Em ambos os casos, os dois não têm muito o que fazer.

Que bosta de analogia.

Mas pois é, não ache que eu aqui, admitindo isto, isento você aí lendo de se autoavaliar. Duvido que você não stalkeie gente facebook afora aí. Vergonha em você, hein.

O problema é que o facebook gera certa dependência. Toda a dinâmica de como a informação chega a você (o feed de notícias, mais precisamente) é construída de forma que o usuário meio que veja o que ele quer ver. Se você curte esportes, curte a página do Globo Esporte. Se você curte tecnologia, com um clique o Olhar Digital, Tecnoblog e afins estão lá, entupindo seu cérebro de informação. Sem contar, claro, o fator mais importante, que é o de que quem você conhece tá ali postando coisas e mais coisas, inclusive sobre seus respectivos status de relacionamento (que aliás, segundo o próprio Zuckerberg no filme A Rede Social, é a coisa que as pessoas mais querem saber sobre as outras).

Além disso tudo, quando você não está no facebook, você quer saber o que tá rolando por lá. Como ouvi um amigo meu dizendo outro dia, “é como um bar ruim: a bebida é ruim, a comida é ruim, o ambiente é ruim, as pessoas são chatas, mas você, por alguma razão, não consegue sair dali”. Por várias vezes já me peguei gastando tempo apenas atualizando a página, esperando alguma coisa interessante acontecer.

Mas vamos ao que interessa.

Pois bem, sucedeu que deu vontade de fazer este experimento pra saber:

1) O quão dependente eu estou do facebook;

2) O quão mais produtivo eu serei durante essa semana sem esta distração inútil (nem venha me falar de League of Legends, ao menos este oferece uma massagem no ego ao se dar pentakill).

Como estímulo pra continuar o experimento, apostei com 3 senhores amigos meus que caso eu descumpra a aposta, terei que enfrentar consequências, que serão mostradas aqui caso eu não faça o mandado. Documentarei os resultados dia a dia aqui no blog, então fique prestando atenção daí. o/

Um comentário sobre “7 dias sem facebook

Digaê

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s