Sobre pequenas irritâncias

Eu poderia começar esse texto já dizendo que é um meta texto, porque vou falar sobre uma coisa aparentemente sem importância mas que me irrita profundamente. Acabo de descobrir que iniciar textos é uma delas. Caramba, como é ruim chamar a atenção no começo.

Mas prossigamos.

A história começa há vários meses, quando comecei a me interessar mais afundo sobre padrões de design de interfaces gráficas pra aplicativos. Sempre fui muito mais um cara do front-end do que um cara do back-end, em quase todo tipo de programação que realizei – caso você não seja familiarizado com o assunto, digamos que se eu for fazer um bolo eu curto muito mais decorá-lo e deixá-lo bonito e atrativo do que fazer ele ficar com gosto bom. Não que eu saiba fazer bolos. Nem aplicativos.

Mas essa sempre se mostrou como sendo minha maior aptidão. Isso provavelmente se deve ao meu lado “artístico”, que vive querendo fazer as coisas ficarem muito mais bonitas e interessantes do que funcionais. O perfeccionismo que eu carrego dos meus desenhos e da música infelizmente se reflete na minha profissão, que requer em geral justamente o contrário – que eu faça mais, ainda que não esteja perfeito, o famoso “done is better than perfect“. Daí basicamente eu vivo com um botão switch que liga o perfeccionismo quando eu preciso me dedicar aos meus hobbies artísticos, e desliga quando eu preciso programar. Acontece que em grande parte das vezes o botão quebra eu fico preso no modo arte.

IMG_20160401_175846

Procê ver que eu tento não esquecer de ligar/desligar.

A última vez que esse botão quebrou, foi quando eu comecei a estudar os guidelines pra se fazer interfaces pra aplicativos Windows Phone (projeto no qual trabalho), pra que o negocio ficasse apresentável. Um dia me deparei com uma situação parecida com a seguinte:

haha.png

Tá vendo a diferença?

À primeira vista não há diferenças nos dois textos, mas se você tiver um olho clínico levemente mais aguçado, vai ver que no primeiro texto a fonte das palavras está levemente mais pixelizada do que no segundo. O primeiro texto é um componente de texto padrão, enquanto o segundo é um “cabeçalho de lista” em que o texto padrão fica ajeitadinho. O primeiro é um componente simples, o segundo levemente mais complexo. Não sei se vai dar pra entender isso.

Basicamente um é um suco Tang de laranja, enquanto o outro é aquele suco de laranja que a sua avó faz: os dois são sucos e de laranja, mas claramente um é superior ao outro porque dá mais trabalho de fazer, leva ingredientes naturais e etc.

Então daí começou a minha jornada pelo vale obscuro da insatisfação.

Por MESES eu tentei descobrir o que fazia a fonte ficar diferente. Tentei ajustar mil cores, tamanhos, propriedades, parâmetros. Tentei rodar o App em plataformas diferentes. Tentei levar o aparelho em correntes de oração. Tentei o Google. Pus uma foto do Windows XP no liquidificador com água e escorri o sangue computacional sobre a tela do app. Reuni as esferas do dragão, atrapalhando a produção do Dragon Ball Super por alguns meses pra pedir ajuda ao Shenlong. Fiz acordos com a máfia japonesa, trocando secretamente torrents de músicas do Angra por horas de desenvolvedores nipônicos. Cheguei a vender dois dedos do pé esquerdo no Mercado Livre em troca de respostas. Cheguei à última página do stackoverflow. E não consegui uma resposta pra essa merda.

O tempo passava e eu tentava ignorar o problema – porque aparentemente ele não parecia incomodar a mais ninguém -, mas vira e volta eu tava lá tentando ajeitar de novo. Tentei convencer os meus colegas de trabalho em volta de que era uma questão de vida ou morte que demandava atenção, que o futuro da humanidade estava em jogo. Não fui ouvido. Estavam cegos em seus problemas efêmeros.

Até que um dia, a luz até mim veio. Descobri simplesmente que a fonte padrão usada no campo de texto (primeiro texto) é diferente da do cabeçalho (segundo texto). Ajustei e ficou tudo beleza.

Eu senti a mesma felicidade de quando o Brasil foi penta. Uma pena que antes de resolver o problema eu tive que sofrer por meses e meses com uma dor parecida com a do 7 x 1. Contudo, hoje sou um homem livre da maldição da fonte pixelizada, realizado profissionalmente. Deito na minha cama e me sinto num iate em uma daquelas praias da América Central. E esse iate tá cheio de Ruffles de cebola canadense.

E você? Já teve algum problema insignificante mas que te torturou por MUITO tempo? Conte aí pa noi.

 

Um comentário sobre “Sobre pequenas irritâncias

  1. Vo fala pa gal, q Nunca fiquei meses num problema de TOC nervoso. Porém todo dia rola aqueles TOCs sobre alinhamento de texto, sincronia de áudio/imagem, e etc. Em programação pegar o código de alguém que identa diferente, bracketa (abrir/fechar brackets das funções) diferente, declara variável com letra maiúscula e etc, me irrita deveras.

    Sdds.

    Curtido por 1 pessoa

Digaê

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s