Top 5 – músicas com apologia a pobreza

Fala putada! Tão achando que a gente virou gente séria? Que só fica postando essas porra desses textos sérios? NÃO! Esse texto é um tapa na cara de vocês aí de Hollister, Abercrombie & Fitch, Gucci, que tiram foto bebendo red label na balada e se acham os fodões por conta disso.

Não é novidade pra ninguém aqui que eu sou pobre. Também não é novidade que isso não é algo que me impeça de viver minha vida na tranquilidade de sempre. Ok, eu reconheço, dinheiro é legal, compra uns lances bacanas, te salva do sufoco no fim dos meses, facilita coisa pra caralho, nó não entendo essa necessidade patológica da galera ficar exibindo e glorificando isso todos os dias na sua vida.

Continuar lendo

Hypnos e Thanatos

O dia fica mais longo pra passar e mais curto pra fazer qualquer coisa. As pálpebras pesam uma tonelada, o tronco já ultrapassou essa tonelada há semanas. As solas do sapato se gastam, você sente a fricção do chão com a sua meia e então não há mais meia nenhuma até que seu pé sangre. Você não tem forças pra sonhar, não tem forças pra pensar, só consegue tentar aprender tudo o que você não aprendeu no semestre inteiro. Você está oficialmente no fim do semestre.

Continuar lendo

O que eu aprendi nessa semana

Se você estiver lendo isso num futuro distante, saiba que “essa semana” é a semana da “revolta da salada” (ou seja lá como isso se chama). Essa semaninha em que todo mundo foi pras ruas, gritaram muito, caminharam pra caramba e pior, apanharam que nem mala velha.

Confesso que no começo eu achei tudo muito lindo, tudo muito bonito, o povo finalmente lutando por seus direitos, indo pras ruas, sem uma representação específica, só sendo o povo mesmo, o Brasil “acordando”.

Continuar lendo

Engenharia é a nova medicina

Nota do autor: Esse texto foi feito pensando em você, você também e em você outro. Se você se sentiu ofendido com esse texto, pare e repense suas atitudes, nem toda crítica é destrutiva.

Para começar esse texto, vamos contextualizar. Tenho dois amigos que também fazem cursos na área de computação, um faz Sistemas de Informação e a outra faz Ciência da Computação. Nós três (faço Engenharia de Computação), formamos a santíssima trindade da falta de buceta (talvez não, porque um desses amigos é amiga e tem a dela pessoal, mas isso é uma discussão posterior). Eles dois cursam numa federal em minas e eu curso na UFSCar que, segundos os rankings da vida, tem um curso de computação superior (alguns rankings a colocam como melhor curso de computação nacional). Pra completar a cereja do bolo, a carga horária do curso de Sistemas de Informação é inferior à de Ciência da Computação, que por sua vez tem a carga horária inferior à carga horária da engenharia de computação.

Continuar lendo